Páginas

30 de dezembro de 2015

Refúgio

Queria deitar numa grama bem verdinha, ficar olhando pra o céu de azul lisinho e esquecer por um momento dos entraves da minha caminhada. Queria observar a leveza das nuvens e as formas que adquirem ao soprar dos ventos. Queria que as borboletas pousassem sobre minha cabeça e me ensinassem a beleza da simplicidade existente em suas asas. Queria encontrar um cantinho assim, só pra mim, onde eu pudesse me refugiar.

Eu sinto muito por tudo

Eu não posso me contentar com menos agora, e isso é assustador. Mas tudo bem, porque um dia eu sei que alguém vai vir e vai cuidar de mim como você fez. Talvez ele não venha amanhã, mas algum dia ele vai estar aqui. E com ele, eu vou ter certeza. Eu vou estar tão certa assim como você estava comigo. Ele vai mudar a minha vida como eu mudei a sua, ele vai me fazer ver as coisas de maneira diferente e eu não vou ter medo de errar com ele. E então ele vai quebrar meu coração como eu quebrei o seu. E você pode rir de mim se você quiser, eu mereço.

Obrigada. Eu peço desculpas por não ter correspondido ao que você esperava, mas eu não vou pedir desculpas por um único segundo que passamos juntos. Todos os arrependimentos que tenho, todos os erros que cometi, não vão acontecer da próxima vez.

Você me ensinou a não ter medo.
Antigamente eu demonstrava parecer forte e confiante na frente dos outros, mas o que eles não percebiam era que você era minha única fraqueza, o amor que eu nunca conseguia superar.

Tão leve

Você não era para mim. Mas era tão interessante. Foi voluntário e sem sentido o bem que eu senti. Mas foi só isso. O bastante para eu não esquecer. Tão leve e tão profundo.

Eu soube ali

Ele chegou me dizendo que tinham coisas boas em mim. Eu não acreditava, já tinha ouvido aquilo antes e mesmo assim, nunca vi tais coisas em mim. Não sei se amadureci naturalmente ou se tomei alguns atalhos, mas logo passei a me ver com outros olhos, os dele. E foi assim que eu entendi do que ele falava, pois era quando estávamos juntos que em mim despertava o que havia de melhor. Eu soube ali.
Eu sinto saudade. Apenas isso. Não tenho como controlar. Vi uma foto sua e sorri. Sorri um sorriso que me transportou para o passado, para onde tudo era sereno e seguro. Sinto falta de deitar no seu colo, lá eu sabia que tudo tinha jeito. Que tudo tinha saída, solução. A sua risada doce e sincera eram garantias de que tudo ia dar certo.